fbpx

Como calcular frete do seu e-commerce? Entenda o que são custos de envio

Como calcular frete do seu e-commerce? Entenda o que são custos de envio

Oferecer aos seus clientes as melhores taxas de envio é essencial em um e-commerce altamente competitivo. Afinal, você não quer guiar os clientes por toda a jornada de compra e ver eles abandonando os carrinhos no final devido às altas taxas de envio ou aos longos prazos de entrega, certo? Mas, infelizmente, isso é bastante comum. Por isso, é tão importante entender como funcionam os custos de envio de um e-commerce.

Com relação ao tempo de entrega, de acordo com o relatório de 2022 da Capterra, 49% dos entrevistados disseram que o prazo de entrega das suas compras online é o item mais importante, superando inclusive questões como preço.

Já sobre as taxas de envio, em um estudo recente realizado pela Manhattan Associates, 3 em cada 4 consumidores já abandonaram o carrinho devido à taxa de entrega, o que gerou uma perda estimada em R$11,8 bilhões.

Por isso, calcular os custos de envio que funcionam para você e seus clientes é fundamental! Para fazer isso, você deve entender o impacto do frete no preço do produto e os fatores usados ​​para fazer o cálculo de frete.

Neste post, falaremos mais sobre esse tal cálculo de frete para que você aprenda a calculá-lo e consiga tomar as melhores decisões para a sua empresa e para o seu cliente também. 

O que são os custos de envio?

Os custos de envio são os custos diretos associados à movimentação de um item de uma prateleira em seu armazém até a porta de um cliente.

Esses custos podem incluir:

  • Insumos, por exemplo caixas, embalagens, fitas e adesivos
  • Serviço de separação, empacotamento e despacho de pedidos
  • Custo de envio dos pedidos
  • Taxas de importação/exportação ao enviar internacionalmente
  • Seguro, impostos e taxa de manuseio


Leia também: 7 dicas de gestão financeira para salvar seu negócio

Como varejista, você quer garantir que estes custos garantam que a entrega seja feita ao seu cliente no prazo acordado, pelo menor preço e, claro, em boas condições.

Por que calcular os custos de envio?

Você precisa cuidar do seu orçamento e das necessidades do cliente ao calcular o custo de envio. Cobrar muito pouco consumirá suas margens e não será sustentável a longo prazo. Por outro lado, cobrar demais pode significar abandono de carrinho e desistência de compras.

Quando você conhece seus custos de envio, pode fornecer o valor de envio no check out, que é uma informação esperada pelos consumidores que compram online. Muitas vezes, isso requer trabalho no back-end, como configurar taxas de frete para cada produto e inserir zonas de frete.

No entanto, essa é uma ação essencial para criar confiança do cliente e, consequentemente, gerar mais vendas. A transparência sobre seus custos de envio também é ótima para criar fidelidade à marca. Além disso, entender como se calcula o custo do frete te possibilita auditar e conferir as faturas, garantindo que não pague a mais pelo serviço.

Oferecer várias opções de envio em diferentes faixas de preço é outra maneira de reduzir as taxas de abandono de carrinho. Isso faz com que os clientes sintam que estão tomando as decisões e tendo uma experiência personalizada. Mas é importante não deixar o cliente confuso no momento da compra, ofereça algumas opções, mas não exagere na quantidade. O ideal é ter uma opção expressa e consequentemente mais cara; uma mais barata, mas com um preço mais acessível; e, talvez, um meio termo entre as duas opções.

Assim você atende os mais apressadinhos e que topam mais caro pela agilidade, mas também os que preferem pagar mais barato e receber o pedido um pouquinho depois.

Como fazer o cálculo do frete?

Além de considerar os custos que citamos acima de envio, para realizar o cálculo do valor de frete, independente da transportadora, são necessárias duas tabelas fundamentais:

  • Tabela de abrangência: Mostra as regiões e prazos onde a transportadora entrega
  • Tabela de frete peso: Matriz que fornece o valor do frete de acordo com a região de entrega e peso do pacote

Relacionando as informações do pedido a ser entregue com as informações providas pelas tabelas acima, é possível fazer o cálculo do valor final do frete.

Os inputs necessários para o cálculo são estes:

  • Estado de Origem
  • Cidade de Origem
  • CEP entrega
  • Peso → maior entre Peso real e Peso Cubado
    • Peso real → Peso do produto
    • Peso cubado → Peso do produto * Fator de cubagem da transportadora
  • Ad valorem (%)
  • Gris (%)
  • Valor Nota Fiscal
  • ICMS/ISS
    • ICMS → Intermunicipal ou Interestadual
    • ISS → Municipal

Cálculo:

  • Frete Peso (Região  x Peso) → Valor na tabela frete peso da Loggi de acordo com a origem da coleta e destino
  • Ad valorem + Gris → Taxas de seguro e gerenciamento de risco que são aplicados em cima do valor da nota fiscal a ser transportada. O valor do Gris pode ser maior em regiões com maiores riscos de entrega.
  • Imposto → Denominador vai ser ICMS ou ISS, dependendo do imposto que incidir


O imposto é calculado de acordo com uma matriz de impostos nacional que relaciona o estado de origem com o estado de destino, indicando assim qual será a alíquota de ICMS que incidirá sobre o cálculo de frete.

Tabela ICMS para transporte rodoviário de cargas: alíquotas internas e interestaduais

Leia também:  Benefícios fiscais para e-commerces em Extrema – MG 

Porém, existe uma exceção! Caso o frete seja realizado dentro do próprio município, o pacote fica isento da cobrança de ICMS, sendo cobrado o ISS no lugar. Ou seja, fretes intermunicipais ou interestaduais, incide ICMS de acordo com a tabela acima, mas se o frete for realizado dentro do próprio município, incide o ISS. A alíquota mínima do ISS é de 2% e a máxima de 5%, e cabe aos municípios definir os valores cobrados dentro dessa faixa. 

Outro ponto importante é que qualquer frete que incida o ICMS, torna necessária a emissão do CTe.

O Conhecimento de Transporte eletrônico (CTe) é um documento que existe com o objetivo de registrar, para fins fiscais, as prestações de serviço do transporte de cargas realizadas no Brasil. Sua emissão é necessária e obrigatória para serviços de transporte em qualquer um dos modais: rodoviário, aéreo, ferroviário, aquaviário ou dutoviário.

Os responsáveis pela emissão do documento são a transportadora ou o contratante do serviço de transporte. E por se tratar de um documento fiscal obrigatório, quem deixar de gerá-lo também estará sujeito a multas, além de outras penalidades.

De acordo com o AJUSTE SINIEF Nº 09 do Confaz, o tomador do serviço de transporte é o responsável por controlar a emissão do CTe, vedando a aceitação de qualquer outro documento em sua substituição. Dessa maneira, o tomador de serviço pode tanto emitir o documento quanto exigir que o prestador de serviço de transporte o emita.

Como um parceiro logístico pode te ajudar?

Existem empresas, como a Estoca, que são especialistas no serviço fulfillment, ou seja, cuidam da entrega desde o momento em que o pedido é realizado no seu site, até a entrega do pacote na porta do cliente.

Leia também: Como fazer logística para e-commerce?

Isso significa que todo o cálculo do frete, os custos de envio, preocupação com a emissão dos documentos necessários, ficam sob nossa responsabilidade, oferecendo mais tranquilidade para você, que poderá investir seu tempo nas vendas, mais do que se preocupando com todas essas questões da entrega.

Contar com um parceiro logístico é ter a certeza de que você está trabalhando com os melhores custos de envio e que seus produtos estejam chegando dentro do prazo e em boas condições para seus clientes.Para saber mais sobre nossos serviços e como podemos te ajudar com o cálculo de frete, converse com nossos especialistas!

× Fale com um especialista